Colunas

Além do Som: um relato de quem vai ver o U2 pela quarta vez

Na primeira vez que o U2 visitou o Brasil, eu ainda era um jovem adolescente que não tinha permissão sequer de sair de casa para ir ao cinema sozinho. Isso aconteceu no mês de janeiro do distante ano de 1998 – quase 20 anos atrás.

Na ocasião, além de duas datas em São Paulo, a banda também se apresentou no Rio de Janeiro num dia que até hoje é lembrado por conta do engarrafamento histórico na cidade. Foi a única vez que fizeram um show aberto ao público na cidade maravilhosa.

Já em 2006, eu estava lá firme e forte. Após vencer a 1ª etapa com a loucura de conseguir um ingresso, viajei até São Paulo na cia de duas amigas e vi uma das coisas mais especiais da minha vida. Era o dia 20 de fevereiro e vi de perto o Franz Ferdinand tocando o terror para um público que os desconhecia completamente. Hoje é até engraçado pensar que o Franz já abriu parte da tour do U2.

“City of Blinding Light” abriu a noite e foi a primeira canção de um repertório de mais de duas horas de duração. “Vertigo” veio na sequência com o Morumbi inteiro fazendo a contagem maluca do Bono. O setlist era matador para derrubar até quem conhecia pouco da banda. “Elevation”, “Until the End of the World”, “New Years Day” e “I Still Haven’t Found What i Looking For” vieram logo depois. Essa última, em especial, foi o golpe de misericórdia para que a ficha caísse: eu estava num show da melhor banda do mundo.

Nessa época não existia muito de internet, mas o Orkut bombava. O U2 indiretamente foi o grande responsável por uma das primeiras ações de trollagem na internet brasileira. Ou você vai dizer que não participou do famoso chat no Scrapbook da Katilce? Bons tempos!

Cinco (longos) anos se passaram até o retorno da banda em 2011. Com agenda fechada para três datas, o U2 retornou trazendo o Muse como banda de abertura. Matt Bellamy e cia ainda não haviam provado do sucesso pós-Crepúsculo, o que tornava a banda desconhecida para a grande maioria das pessoas – assim como aconteceu com o Franz Ferdinand anos antes.

Novamente conseguir os ingressos foi uma loucura. Um grupo de amigos até assinou o U2.COM para não correr riscos. Mesmo com três datas, os ingressos evaporaram rapidamente e muita gente ficou de fora. Por conta dos amigos, eu tive a chance de assistir duas destas apresentações e reclamei por não ter sido possível ver todos os shows.

Assim como aconteceu em 2006, quando usavam “Wake Up”, do Arcade Fire, como faixa de abertura das apresentações, o U2 escolheu iniciar cada noite da tour com “Space Oddity”, de David Bowie. Mas isso só aconteceu depois que o estádio inteiro cantou “Trem das Onze” (“Minha Menina”, no segundo dia). Já vi muita coisa em shows de rock, mas poucas vezes fiquei tão arrepiado.

O palco da tour 360º era bom de ser visto de longe, para assistir ao todo e aproveitar de verdade a tecnologia que a banda trouxe ao país. Fiquei distante o suficiente para apreciar o show e comprovar mais uma vez porque o U2 é tão especial. Ouvir ao vivo aquelas músicas que fazem parte da minha trilha sonora desde 1998 é uma das melhores sensações do mundo.

E em outubro, seis anos depois da última visita, o U2 retorna ao Brasil para 4 datas e Noel Gallagher acompanhando. Desta vez, preferi garantir apenas um ingresso e de arquibancada para ver tudo confortavelmente. Talvez o fato de ser uma turnê comemorativa do disco Joshua Tree e a chance mínima de grandes variações no repertório tenham sido o principal motivo que me fizeram desistir da compra de ingressos para outras duas datas. Talvez tenha sido a idade. Ou simplesmente a certeza de que essa noite será especial demais e que prefiro ter apenas uma grande recordação do que dividir três em um único evento.

Se você ainda não viu o U2 ao vivo, e é fã do trabalho da banda, eu gostaria que prestasse atenção no meu conselho. Existem shows de rock e existem os shows do U2. Fazer parte desse ritual insano, desde a expectativa da confirmação da data até a dificuldade para conseguir ingressos, é algo que todo mundo deveria experimentar um dia. Nunca existirá algo igual no mundo.

Se você já viu, bem, espero te encontrar lá no dia 19 de outubro.

.

Com quatro shows agendados para o Brasil em outubro, o público ainda pode encontrar ingressos de pista para a última apresentação do U2 no Brasil, dia 25 de outubro. Os demais setores para a data e todos os ingressos dos dias 19, 21 e 22 estão esgotados.

Os shows acontecem no Estádio do Morumbi, em São Paulo.