Reviews

Review: Cordel do Fogo Encantado – Viagem ao Coração do Sol

Sempre fui apaixonado pela música nordestina moderna, em especial pela cena pernambucana. Desde os primórdios do Manguebeat com Nação Zumbi e Mundo Livre S/A, a sonoridade da região, alinhada ao sotaque, me encanta. O Manguebeat “pariu” uma cena extremamente criativa e diversa. Nomes como OTTO, Sheik Tosado, Mestre Ambrósio e Banda Eddie me pegaram como quem pega alguém pelo pescoço e diz “mermão isso aqui é nordeste! Isso aqui é Pernambuco!”.

Essa sonoridade cresceu, evolui e abriu espaço para a geração futura. Mombojó, Comadre Fulozinha, China (em carreira solo), Cidadão Instigado e Academia da Berlinda são alguns exemplos do quão plural é a musicalidade pernambucana. Mas, escrever sobre uma cultura tão rica, com tantas bandas e movimentos, requer uma pesquisa mais aprofundada. Fica pra uma próxima. Hoje, eu preciso falar de uma banda específica: o Cordel do Fogo Encantado.

Formada em 1999, na cidade Arcoverde, em Pernambuco, o grupo logo chamou a atenção da grande mídia. Desde então, foram três discos lançados. Letras marcantes, shows vigorosos e uma sonoridade regional extremamente visceral, que unia o simples ao sofisticado, foram mais que suficientes para que Lirinha, Clayton Barros, Emerson Calado, Nego Henrique e Rafa Almeida arrebanhassem uma legião de fãs.

Fosse evocando a vida e as mazelas do sertão, como em “Chover” (ou Invocação Para Um Dia Líquido), fosse falando de amor, como em “Ai Se Sêsse”, poema de Zé da Luz, o grupo se comunicava de maneira fugaz e pungente, imprimindo urgência e emoção que são colocados quase com a mão na alma do ouvinte. Em 2010, o grupo pernambucano anunciou seu fim, deixando o público órfão mundo afora.

Após oito anos de hiato, o grupo oficializou seu retorno. E fez serviço completo: formação original, turnê marcada, os três primeiros trabalhos – Cordel do Fogo Encantado (2001), O Palhaço do Circo sem Futuro (2002) e Transfiguração (2006) – liberados nas plataformas de streaming e anúncio de disco novo.

O tão aguardado Viagem ao Coração do Sol (2018), produzido pelo genial Fernando Catatau (Cidadão Instigado), foi lançado no dia 6 de abril, em formato digital. O trabalho, de 13 faixas, segue a tradição do grupo e compõe uma narrativa sobre a liberdade, trajetória que começa a ser desenhada no texto “O Sonho Acabou”, publicado no site oficial do grupo.

“O Sonho Acabou”, que também o nome da primeira faixa do disco, é finalizado com o seguinte trecho: “Renascemos assim subimos num feixe e saímos duma fenda / Mergulhamos num céu redondo entre montanhas desiguais / Quase caímos, na visão radiante que girou / O mundo agora é esse! / Um encontro está marcado pra saber do caminho / Precisamos falar com a filha do vento a que chamam: Liberdade.”. Interessante paralelo para o ressurgimento do grupo em um mundo digital completamente diferente daquele de 2010.

Musicalmente o Cordel mantém a tradição. A percussão que conduz as faixas de maneira intensa atrai a atenção instantaneamente. É impossível não se interessar pelo trabalho já na segunda faixa, “Sideral ou Quem Ama Não Vê Fim”. Depois de introduzido no universo, é só se deixar levar pelas músicas. As letras dialogam com sentimentos como amores, perdas e solidão com uma pegada que quase flerta com esoterismo. Experimentar o disco em um momento reflexivo pode ser uma boa forma de mergulhar em pensamentos mais profundos.

Viagem ao Coração do Sol é um retorno mais do que digno para o Cordel do Fogo Encantado. Mantendo as raízes e inovando em alguns aspectos os pernambucanos mostram que, mesmo após oito anos, o grupo segue entrosado e criativo. Confesso que estou ansioso para vê-los ao vivo para ter a experiência completa desse retorno tão aguardado.

Cordel do Fogo Encantado – Viagem ao Coração do Sol

Lançamento: 06 de abril de 2018
Gravadora: Independente
Gênero: Mangue-beat
Produção: Fernando Catatau

Faixas:
01. O Sonho Acabou
02. Sideral ou Quem Ama Não Vê Fim
03. Raiar ou Vingador da Solidão
04. Força Encantada ou Largou as Botas e Mergulhou no Céu
05. Liberdade, a Filha do Vento
06. No Compasso da Mãe Natureza ou O Amor, a Pureza e a Verdade
07. Pra Cima Deles Passarinho ou Semente Brilhante
08. Dentro dos Teus Olhos ou Passageira Florescente
09. Destilações
10. Conceição ou Do Tambor Que Se Chama Esperança
11. Eternal Viagem
12. Primeira Paisagem ou Flor Molhada
13. Cavaleiro das Estradas do Sol