Colunas

Neo-Música: você já ouviu o som da banda Estranhos Românticos hoje?

Esse é um caso clássico de amor à primeira ouvida e gerou um romance que, na verdade, está durando até hoje.

Quando encontramos músicas que realmente fazem sentido na nossa vida é algo tão maravilhoso e eu adoro ouvir o som dessa banda quando estou no trabalho – espero que dessa vez minha chefe não leia isso. É um som que me tira do stress e dá um gás fantástico.

É muito insano o álbum recente deles e, vou dizer de coração, é difícil separar as músicas que eu gostei de ouvir, porque para mim o álbum inteiro está perfeito, em sintonia total, com uma música melhor que a outro. Inclusive, foi o primeiro álbum da vida que achei que estava em ordem certinha, sabe? Adorei a escolha.

Pois bem, a banda carioca Estranhos Românticos se formou em 2014 com quatro caras das antigas na cena musical/cinematográfica independente: Marcos Muller (voz e guitarra), Mauk (baixo), Luciano Cian (teclado e vocais) e Pedro Serra (bateria e vocais). Em 2016 lançaram CD homônimo onde misturam rock indie, new wave, tropicalia, groove, surf e punk tropical com letras românticas existenciais.

Todos já passaram por várias bandas desde os anos 80, como Gatz Mao, A Grande Trepada, Utopia e Cordel Elétrico, entre outras. Eles trabalham com imagem e som paralelamente à banda, tendo dirigido ou participado de projetos com Autoramas, Los Hermanos, Second Come, Gerson King Combo, O Rappa e Gilberto Gil, entre outros.

A história da banda é mais ou menos assim: Pedro e Mauk se conhecem desde os anos 80, mas nunca tinham tocado juntos, enquanto Marcos, Pedro e Luciano já tinham tocado juntos em outras 2 bandas anteriormente. Os quatro tocaram todos juntos pela 1ª vez em uma jam session de amigos e ali foi formada a liga dos Estranhos Românticos.

Qual a conexão entre a China de 1980 com a música indie-rock-new-wave-pop-punk-tropicalista carioca dos Estranhos Românticos em 2018? A resposta está no clipe de “Karma”, que foi dirigido e editado pelo baterista Pedro Serra e conta com imagens feitas por seu pai, Sergio Serra, quase quatro décadas antes. Um verdadeiro encontro de culturas e gerações.

Pedro descobriu um baú repleto de rolos de filme Super 8 filmados por seu pai, um fotógrafo amador, nos anos 70 e 80 e os digitalizou, descortinando um mundo e uma época perdidos no tempo.

O clipe mostra uma China ainda totalmente fechada ao capitalismo e ao Ocidente. Não se vê nenhum ocidental nas imagens, repletas de bicicletas e com pouquíssimos carros nas ruas. As imagens em filme Super 8 granulado, porém bem conservado, mostram não só pontos turísticos chineses como a Cidade Proibida e a Grande Muralha, mas também as cidades de Pequim e Xangai, repletas de gente nas ruas. O resultado é lindíssimo!

A música é um dos singles do primeiro disco dos Estranhos Românticos, produzido por Jr Tostoi. Como já falei bastante dele no começo do texto, é hora de fazer aquele mesmo ritual que te ensino sempre aqui: AUMENTA O SOM E DÊ PLAY!

Então é isso, ouça o som deles e depois vem cá deixar um recadinho, combinado? Vou esperar hein! E não deixe de acompanhar as novidades da banda no Facebook, ok?

.

Fotos: Ana Paula Moniz