Colunas

Neo-Música: Bizarra ou Vanguardista; eis Brooke Candy

Nascida na cidade de Oxnard, na Califórnia, Brooke Dyan Candy cresceu numa família com bastantes conflitos, fato que segundo a mesma marcou não só sua carreira, mas sua existência emocional e artística num todo.

Brooke – que é rapper, compositora, cantora, performer, modelo e, diga-se de passagem; uma verdadeira visionária das artes visuais – não se contenta em gerar polêmica por praxe, como é o caso de vários outros artistas. Candy exala em sua arte a necessidade de elevar sua mensagem a um nível não superficial e unir suas opulentas produções estéticas á mensagem presente em seus versos, algo parecido com a filosofia criativa proposta no álbum ARTPOP (2013), de Lady Gaga, uma de suas contemporâneas com quem a mídia não poupa comparações.

A rapper, que teve contrato assinado com a RCA em meados de 2014, tem uma extensa lista de trabalhos antes de se tornar parte de uma grande gravadora. Candy colaborou com Charli XCX, na faixa “Cloud Aura”; é a incógnita no clipe de “Genesis”, da canadense Grimes; lançou diversas músicas como artista independente até que, por intermédio de Sia Furler – que a descreveu como uma “rapper alienígena”, assinou contrato com seu atual selo. Desde então, a americana esteve em estúdio com grandes nomes da música, como Diplo, will.i.am, Greg Kurstin, Jack Antonoff e claro, sua mentora e conselheira do novo projeto, Sia. Além disso, Brooke colaborou com grandes diretores de vídeo e fashionistas como Rankin, Steven Klein e o diretor criativo da marca Diesel, Nicola Formichetti.

Em produção há mais de 2 anos, o álbum de estréia de Brooke Candy, anteriormente intitulado como Freaky Princess e posteriormente alterado para The Daddy Issues, teve seu esquema de lançamentos alterado diversas vezes, graças a uma montanha russa de mudanças entre produtores e demais colaboradores, criando uma cortina de neblina sobre o projeto, o mantendo em mistério e sem muitos detalhes divulgados.

Entre as canções lançadas para o disco estão “Rubber Band Stacks”, “Happy Days”, “Changes”, “Nasty”, “Paper or Plastic” e “Living Out Loud”, parceria com Sia. Porém, quase nada se sabe sobre o álbum, nem mesmo se todas as canções lançadas integrarão a tracklist final. A única confirmação feita é que os principais tópicos do álbum, pelo qual as letras decorrem, são os conflitos, magoas, frustrações e as patologias mentais geradas pelos traumas vivenciados pela rapper, como a rejeição familiar a sua bissexualidade, a época que foi expulsa de casa, seu envolvimento com drogas, o contraste financeiro entre um pai milionário e uma mãe simples e a hipocrisia puritana da burguesia americana que contribuiu e muito para a rebelião pessoal e identidade artística de Brooke Candy.

Segundo rumores, o ambicioso álbum de estreia da rapper deverá ser lançado entre o intervalo de lançamento dos álbuns de Iggy Azalea e Nicki Minaj, data que deve coincidir com o verão norte-americano. Enquanto isso, confira o mais recente lançamento de Brooke, “Living Out Loud”, com Sia.