Colunas

Essa Me Lembra Você: Noah Gundersen – Ledges

E aí chegou o dia em que ela finalmente disse: “essa música me lembra você”.

Quase um ano depois de nosso primeiro encontro, foi justamente ela quem encontrou uma música para servir de trilha sonora. Quando digo isso é porque música nunca foi uma paixão para ela como é para mim. Passei meses tentando encontrar uma música que nos definisse como uma unidade ou que tivesse valor para ela.

Acredito piamente que todos nós somos capazes de usar a arte do deus Apollo como ferramenta para revolucionar nossa própria vida. Ter aquele insight que nos faça perceber quais são os melhores caminhos para percorrer, encontrar a inspiração que faltava.

Nesse relacionamento, me permiti aceitar que nem todo mundo é viciado em música. Existe uma espécie de pessoas que não precisa de música diariamente para respirar, sentir tesão ou ser feliz. Pelo lado positivo, dificilmente vou passar pela situação de ser traído num show da banda que fez com que vocês começassem a namorar. E nem gastar dinheiro pagando ingressos e passagens para os dois viajarem para ver show daquela banda que a maioria de nossos amigos nunca ouviu falar e torce o nariz: “O que? Você vai para o Rio de Janeiro para ver show de City and Colour? O que é isso? Vai pra praia, sô!”.

Enfim. Falando sério agora.

Numa quarta-feira acordei com uma mensagem no meu Whatsapp dizendo para ouvir “Ledges”, de um tal de Noah Gundersen. Fui lembrar disso às 18h30. Quase não escuto, para falar a verdade. Se fosse importante, receberia alguma mensagem reforçando o pedido, certamente. Gundersen nasceu em 1989 e sua trajetória me lembrou muito o Beirut. Mas bem melhor.

Ouvi a primeira vez. Curti a batida. O instrumental. Me lembrou coisas folks que costumo ouvir e gostar bastante, como o já citado City and Colour. Não conseguia parar de ouvir. Fui lá ver a letra. Apenas pensei: “ela me achou uma música biográfica”. Por “música biográfica” entenda aquela canção cujos versos são um retrato do que você é. Mais do que apenas reacender as lembranças de sua própria vida, a música parece ter sido composta exclusivamente para você. Sabe quando as pessoas dizem: “Nossa, essa é a minha música!”? É mais ou menos por aí.

Ganhar uma dica dessas de presente surpresa é uma daquelas coisas que conquistam a minha gratidão eterna. Por essas e outras continuo aprendendo muito com essa leonina que resiste bravamente para a magia de Apollo.

O espaço está aberto para todos os leitores compartilharem suas histórias. Curtiu? Mande sua história para contato@audiograma.com.br com seu nome e lugar aonde reside ou, se preferir, pode deixar aquela mensagem privada lá em nossa página no Facebook, fechado?

Para ver os posts anteriores, clique aqui.